Apresentamos a definição das 4 áreas de especialidade definidas pela APD para a Classificação Nacional de Profissões, bem como para estruturação interna para apoio aos restantes regulamentos.

ÁREA A – DESIGNER GRÁFICO / DE COMUNICAÇÃO

Gráfico; Gráfico publicitário; Embalagem; Ilustração; Gráfico de cinema e T. V; Multimédia

 

Estuda, define estratégias, analisa e identifica necessidades específicas dos diversos tipos de público e utilizadores, projecta e orienta a execução de objectos/suportes de comunicação, considerando aspectos ergonómicos, valores cognitivos, semióticos, semânticos, culturais, sociais, interactivos e ecológicos, coordenando os diferentes membros da equipa; considera os utilizadores finais e demais protagonistas do mercado, no contexto da sustentabilidade global e protecção do ambiente:

Colabora nas definições do programa a realizar, analisando as condicionantes existentes (orçamentais, de prazos, da natureza do problema e dos intervenientes na sua resolução, da concorrência e mercados, da legislação aplicável, dos recursos e meios de produção disponíveis) e integra-as, de modo a definir o quadro da solução; identifica objectivos, o público a que se destina, o conteúdo a transmitir; elabora um diagnóstico a partir da análise da situação, expõe-o e discute-o; fornece estimativas sobre o custo e duração dos trabalhos; fundamenta a sua actividade em estudos disponíveis sobre requisitos funcionais, materiais, processos e técnicas de produção, padrões de segurança; toma decisões e materializa a solução, através de desenhos e maquetas, entre outros; elabora planos pormenorizados e respectivos cadernos de encargos, com vista à sua materialização; acompanha e orienta a execução dos trabalhos; avalia e propõe correcções, sempre que existirem possibilidades de executar melhorias nos projectos.

ÁREA B – DESIGNER INDUSTRIAL / DE PRODUTO / DE EQUIPAMENTO

Produtos; Mobiliário; Cerâmica e Vidro; Elementos de pré-fabricação para construção civil; Cutelaria; Joalharia; Jogos e brinquedos

 

Estuda, define estratégias, analisa e identifica necessidades específicas dos diversos tipos de público e utilizadores; projecta e orienta a execução de equipamentos e objectos, reportando-se à sua concepção formal e funcional, à plasticidade das matérias-primas, às tecnologias disponíveis, à economia dos meios e processos produtivos e de comercialização, à sua promoção, à segurança dos utilizadores, considerando aspectos ergonómicos, valores cognitivos, semióticos, semânticos, culturais, sociais, interactivos e ecológicos; projecta novas tipologias formais para os produtos já existentes; coordena o desenvolvimento e planificação de novos produtos, concebidos em equipas multidisciplinares, determinando as suas propriedades formais (estéticas, estruturais e funcionais); considera os utilizadores finais e demais protagonistas do mercado, no contexto da sustentabilidade global e protecção do ambiente:

Colabora nas definições do programa a realizar, analisando as condicionantes existentes (orçamentais, de prazos, da natureza do problema e dos intervenientes na sua resolução, da concorrência e mercados, da legislação aplicável, dos recursos e meios de produção disponíveis) e integra-as, de modo a definir o quadro da solução; identifica objectivos, o público a que se destina, o conteúdo a transmitir; elabora um diagnóstico a partir da análise da situação, expõe-o e discute-o; fornece estimativas sobre o custo e duração dos trabalhos; fundamenta a sua actividade em estudos disponíveis sobre requisitos funcionais, materiais, processos e técnicas de produção, padrões de segurança; toma decisões e materializa a solução, através de desenhos e maquetas, entre outros; elabora planos pormenorizados e respectivos cadernos de encargos, com vista à sua materialização; acompanha e orienta a execução dos trabalhos; supervisiona a produção de amostras e protótipos, a fim de assegurar o cumprimento do projecto e das normas regulamentares e, se necessário, introduzir correcções.

ÁREA C – Designer de interiores / de espaços / de ambientes

Exposições; Interiores, industriais, comerciais e domésticos; Cenografia

 

Estuda, define estratégias, analisa e identifica necessidades específicas dos diversos tipos de público e utilizadores; projecta e orienta a execução de espaços interiores e exteriores de cariz cultural, comercial, industrial, empresarial, doméstico, hospitalar, religioso, desportivo, de lazer ou de recreio, entre outros; faz intervenções de preservação, requalificação e valorização ambiental e paisagística; projecta equipamentos e objectos, reportando-se à sua concepção formal e funcional, à criação de relações harmoniosas com os seus utilizadores (supressão de barreiras arquitectónicas ou outras, assegurando as acessibilidades a todos os tipos de população) e na integração com o meio circundante e à segurança dos utilizadores, considerando aspectos ergonómicos, valores cognitivos, semióticos, semânticos, culturais, sociais, interactivos e ecológicos; selecciona os processos construtivos adequados a cada situação específica:

Colabora nas definições do programa a realizar, analisando as condicionantes existentes (orçamentais, de prazos, da natureza do problema e dos intervenientes na sua resolução, da concorrência e mercados, da legislação aplicável, dos recursos e meios de produção disponíveis) e integra-as, de modo a definir o quadro da solução; identifica objectivos, o público a que se destina, o conteúdo a transmitir; elabora um diagnóstico a partir da análise da situação, expõe-o e discute-o; fornece estimativas sobre o custo e duração dos trabalhos; fundamenta a sua actividade em estudos disponíveis sobre requisitos funcionais, materiais, processos e técnicas de produção, padrões de segurança; toma decisões e materializa a solução, através de desenhos e maquetas, entre outros; elabora planos pormenorizados e respectivos cadernos de encargos, com vista

à sua materialização; acompanha e orienta a execução dos trabalhos, coordenando as actividades dos diversos técnicos intervenientes, nomeadamente em equipas transdisciplinares; avalia e propõe correcções, sempre que existirem possibilidades de executar melhorias nos projectos.

ÁREA D – Designer têxtil / de moda

Vestuário e acessórios; Calçado e objectos de couro ou similares; Têxteis; Carpetes e papel de parede

 

Estuda, define estratégias, analisa e identifica necessidades específicas dos diversos tipos de público e utilizadores; projecta e orienta a execução de produtos de vestuário e acessórios de moda, tendo em conta exigências técnicas, adequação funcional, diferentes segmentos de mercado e calendário sazonal, considerando aspectos ergonómicos, valores cognitivos, semióticos, semânticos, culturais, sociais, interactivos e ecológicos, fundamentando a sua actividade em estudos disponíveis sobre requisitos funcionais, materiais, processos e técnicas de fabrico, limitações de custos, universos culturais e preferências dos potenciais consumidores; coordena as actividades dos diversos técnicos intervenientes:

Identifica objectivos, o público a que se destina; forneceestimativas sobre o custo e duração dos trabalhos; projectamodelos; toma decisões e materializa a solução, através deesboços e/ou maquetas; elabora o desenho final do produto,definindo o estilo, a forma, as dimensões, as cores, variantes

de cada peça, pormenores de confecção, resultados experimentais de materiais, texturas e/ou confecção, criando

a linguagem visual de apresentação; supervisiona a produção de amostras e protótipos, a fim de se assegurar do cumprimento do modelo e normas regulamentares e, se necessário, introduzir correcções; inicia outros trabalhadores na feitura de modelos de outros produtos e selecciona os melhores resultados no processo de desenvolvimento; verifica as fichas técnicas de desenvolvimento; define o tipo de desenvolvimento técnico para testes de produção; define o projecto de novos moldes, testes, alterações e respectivas graduações; verifica as fichas técnicas de confecção; coordena o desfile de apresentação dos protótipos.