A APD tem 30 anos.

E orgulha-se de ter entre os seus fundadores os pioneiros de Design em Portugal.

Em Maio de 1974 um grupo de Designers convoca um reunião para discussão dos problemas relacionados com o exercício da profissão e com a actividade do Design em Portugal, entre os quais se destacam, pela importância que revestem: a consciencialização do papel Social do Designer; o Reconhecimento da Profissão tendo em atenção a situação já instituída noutros países e sua necessária equiparação em relação a níveis já reconhecidos noutras profissões paralelas; consequente reconhecimento de níveis de responsabilidade profissional e sua equiparação salarial.

Esta movimentação levou a que um grupo de designers começasse a reunir na Sociedade Nacional de Belas Artes desde 1975, grupo este, que posteriormente fundou a APD, cuja oficialização se deu em finais de 1976.

Em 1976 a APD lança o seu Manifesto à sociedade portuguesa onde clarifica num conjunto de distinto de cenários de intervenção “O Lugar do Design”, com textos de Sena da Silva e design de Sebastião Rodrigues.

A APD tem como sócios Designers de várias gerações e de todos os pontos do pais, garantindo a continuidade de gerações e representando diversos pontos de vista, e reunindo assim o conhecimento da história do Design em Portugal, bem como a irreverência dos jovens Designers para encarar o presente e o futuro.

Percurso da APD

Desde a sua constituição a APD foi reconhecida como legítimo representante da actividade de Design em Portugal, sendo solicitada e intervindo na representação e promoção dos designers e do Design junto das organizações , das quais se destacam: a Sociedade Nacional de Belas Artes – SNBA, o Sindicato Nacional dos Arquitectos (actual Ordem dos Arquitectos), a Cooperativa Árvore, O Instituto Nacional de Investigação Industrial (INII), a Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), as escolas de Belas Artes de Lisboa e do Porto e as escolas António Arroio e Soares dos Reis.

Foram também estabelecidos contactos com algumas instituições estrangeiras, nomeadamente com o IFI-International Federation of Interior Design, o Instituto De Design do Rio de Janeiro e o Design Magasin.

Algumas iniciativas e actividades que a APD concretizou tanto a nível nacional como internacional: na regulamentação de concursos de design, presença em sucessivos júris, a edição de publicações, a realização de exposições e a organização do XVI Congresso do Icograda – International Council of Graphic Associations, em 1995 e ao qual esteve ligada a exposição retrospectiva de Sebastião Rodrigues, figura paradigmática do Design Gráfico Português.

A sua filiação nas principais instituições internacionais ligadas ao design: Icograda (1980), International Council of Societies of Industrial Design – ICSID (1980) e Bureau of European Design Associations – Beda (1990) assumindo a sua presidência em 1993, constituem marcos importantes para o design e para os designers portugueses.

A APD esteve representada nos seguintes congressos:

1987 – Icograda|ICSID|IFI, Amesterdão.

1989 – ICSID.

1990 – Icograda, Telavive.

1991
– Icograda, Montreal.

1993 – Icograda, Glasgow.

1995 – Icograda, Lisboa.

A Associação esteve também intensamente ligada no período logo após a sua constituição e toda a década de oitenta às iniciativas realizadas pelos diferentes sectores empresariais nacionais, salientando-se a presença nas actividades da Feira Internacional de Lisboa.

No âmbito das exposições a APD realizou, designadamente, as seguintes:Exposição de design na Galeria de Arte Moderna de Belém, integrada nas comemorações do 10 de Junho de 1977, subsidiada pela Secretaria de Estado da Cultura, com material cedido pelo Núcleo de Design do INII; Design italiano(1980) em colaboração com a SNBA; Design e circunstância (SNBA, 1982); A imagem do vinho, (Lisboa, Instituto Superior de Agronomia, 1994) e, em colaboração com a FCG, a Retrospectiva de Sebastião Rodrigues.

Para além das Folhas de Informação aos sócios que começaram a ser distribuídas em 1977, a Associação tem editado sozinha ou em colaboração algumas publicações.

A admissão de sócios é permanente desde a sua constituição. Estes designers são muitos deles admitidos já com diploma de estudos superiores em Design, realizados nas escolas públicas e privadas que foram sendo constituídas pelo país. A década de noventa assiste a um arrefecimento nestas admissões, verificando-se a partir do ano 2000 uma nova vaga de designers que reconhecem na APD o papel inestimável na defesa da profissão, pugnando pelo seu reconhecimento público em Portugal.

Factos fazem história

1980
– Filiação no ICSID e ICOGRADA

1981
– Exposição de Design Italiano realizada na SNBA.
– “Encontros de Design” no âmbito da Exposição de Cartazes “Energia Economia” organizada pela MOBIL e que percorreu várias cidades .

1982
– Exposição de Design Português, “Design & Circunstância”, na SNBA.
– Edição do primeiro “Directório de Designers Portugueses”.

1989
– Edição do primeiro Boletim da APD, nºs 1 e 2.
– Stand permanente da APD na FIL.
– Presença de stand da APD na Exposição Universal de Design em Nagoya, Japão.
– Mostra de Design Português.
– Edição do Cartaz “Design Português Folio”.
– Realização de um segundo Directório de Designers.
– Edição de seis livros temáticos.

1990
– Realização de Pós-Graduação ao abrigo do Programa FUNDETEC do FEDER.
– Curso de especialização em Design de Informação, coordenado pelo designer Robin Fior.
– Presença no Congresso do ICOGRADA, em Telaviv.
– Adesão ao BEDA – Bureaus of European Design Associations, organismo creditado na Comunidade Europeia para a valorização do papel do designer.
– APD apresenta o trabalho de alguns designers gráficos portugueses no Salon Internacional de L’Affiche, Paris.

1992
– Estabelecido protocolo com a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).
– Elaboração de um modelo de Condições Gerais de Contratação de Designers.
– Presidência do BEDA – Bureaus of European Design Associations, da responsabilidade da designer Margarida Oliveira, mandato até 1994.

1993
– Exposição de Design Holandês, realizada na Gulbenkian.
– Apresentação em Glasgow da candidatura portuguesa à organização do Congresso do ICOGRADA em 1995, com o tema “Shifting Frontiers”, coordenada pelo designer Robin Fior.
– Constituição da Comissão Organizadora do ICOGRADA, liderada pelo designer Henrique Cayatte.

1994
– Criação de um desdobrável sobre “Condições de Trabalho entre Cliente e Designer”, em articulação com o BEDA
– Exposição “A Imagem do Vinho”, no Instituto Superior de Agronomia.
– Realização de encontro com deputados europeus sobre Direitos de Autor.

1995

– Edição da Revista da APD [di’zain], oito números que antecedem a realização do Congresso do ICOGRADA.
– Realização em Portugal do Congresso Internacional do ICOGRADA, na Fundação Calouste Gulbenkian em Julho.

2005
– “Designers à Conversa” abordando, os seguintes temas: Jovens designers: como começar; Designers a comunicar o design; O designer face à sociedade; Estatuto profissional do designer e O designer e a actividade associativa.
– Edição de Newsletter no âmbito dos ““Designers à Conversa”.

2006
– Edição de Folheto institucional
– Presença com um Stand na Exponor / AEP por altura da Feira Porto Jóia
– Obtenção do CIRS 1336: “Designers”